Mock Draft dos Brother

Chegou o grande dia! O melhor dia de toda a offseason, o dia mais esperado pelos times em reconstrução. É dia do DRAFT! Nós, escritores do NFL dos Brother, organizamos os nossos pensamentos e chegamos à um consenso nas escolhas de primeiras rodada. Sem mais delongas, aqui vão elas!

1 – Los Angeles Rams
Escolha: QB Jared Goff, California

A franquia saiu de St. Louis, e foi para a gigante e badalada Los Angeles, em plena Califórnia. Terra do Lakers, do Clippers, do Dodgers e sua antiga casa. Poucas semanas depois, a equipe conclui uma trade bombástica e tem a primeira escolha geral do Draft. Essa escolha precisa atrair o público para lotar o Coliseum de LA.

Nada melhor, então, que um QB para revigorar a franquia! Jared Goff é o prospecto mais pronto para o nível alto da NFL. Pode não ter o mesmo poder evolutivo de Carson Wentz, mas fator preponderante será a cidade. Goff era o astro da Universidade da Califórnia, o maior pós Aaron Rodgers. E se é para o bem do povo e para a felicidade geral da nação, diga ao povo que fico! Dessa vez, em LA, querendo trilhar um recomeço do Rams na NFL.

2. Philadelphia Eagles
Escolha: QB Carson Wentz, North Dakota State

Um protótipo. Um grande projeto de QB. É disso que o Eagles precisa nesse momento. Com um Sam Bradford não confiável (apesar de receber 18 milhões nos próximos dois anos), o time da Philadelphia necessita de um big time player como Wentz para revitalizar a franquia.
Sobre o jogador, pouco se sabe. Após jogar na divisão II do College, na pouco conhecida universidade de North Dakota State, Wentz mostrou um potencial imenso, porém, não enfrentou nenhuma das grandes defesas do futebol universitário.
High risk, high reward. Uma seleção de altíssimo risco, mas que pode dar muito certo para o time. E é disso que eles precisam. Doug Pedersen é um ótimo desenvolvedor de QBs, e isso pode ajudar na caminhada do novato na NFL.

3. San Diego Chargers
Escolha: OT Laremy Tunsil, Ole Miss

Sem nenhum nome de peso na sua OL, composta por desconhecidos e veteranos que nao rendem a muito tempo, o Chargers precisa, urgentemente, de alguém confiável para o lado cedo de Phillip Rivers. Muito do insucesso da escolha de primeira rodada do ano passado, o HB Melvin Gordon, é creditado à ineficiência da OL. Por isso, Tunsil, considerado o melhor OT da classe, irá adicionar muito nessa unidade da equipe.

4. Dallas Cowboys
Escolha: DB Jalen Ramsey, Florida State

A secundária dos Cowboys foi um dos pontos negativos do time nos últimos anos,e apesar da melhora substancial dela com a escolha de primeira rodada do ano passado, Byron Jones, mais talento é requerido na posição,f azendo-se necessário um novo investimento alto no draft em um defensive back. O versátil produto de Flórida,que atuou como CB, FS e Nickelback,alem de jogar nos times especiais, dono de uma habilidade atlética impressionante (vale notar que ele também competia no atletismo pelos Seminoles) pode ser o shutdown corner que a franquia do Texas tanto precisa,e ainda contribuir em alguma outra posição se necessário, seguindo a tendencia de jogadores híbridos como Tyrann Mathieu e o já citado Byron Jones, que com a chegada de um novo companheiro e a volta de Scandrick pode ser deslocado para a posição de safety, preenchendo outra lacuna na unidade, o que contribui ainda mais pra justificar a escolha de Ramsey.

5. Jacksonville Jaguars
Escolha: OLB Myles Jack, UCLA

Myles Jack é um linebacker completamente atlético e com uma velocidade impressionante, tendo atuado também como RB no seu freshman year. O Jaguars tem um ótimo LB em Telvin Smith, porém Paul Posluzny já está velho e deve decair em breve. Apesar de ter sofrido uma lesão que o fez perder grande parte da temporada de 2015, ele foi um dos melhores defensores no F.A Universitário e apesar de não ser uma grande necessidade, ele preenche uma lacuna de qualquer jeito.

6. Baltimore Ravens
Escolha: DE DeForest Buckner, Oregon

Buckner é um jovem esforçado, raramente desiste da jogada e devido a sua habilidade de ocupar dois gaps e criar pressão da posição de DE de 3-4, supre uma necessidade grande do Baltimore Ravens. Como um defensor de elite contra a corrida, Buckner usa seus braços longos para encarar e sair de bloqueadores para fazer jogadas impactantes contra a corrida. Sua produção de 30 tackles para perda de jarda e 14,5 sacks nas últimas duas temporadas provam isso.

7. San Francisco 49ers
Escolha: CB Vernon Hargreaves III, Florida

A temida defesa de 2 anos atrás do 49ers foi toda desmontada, sendo assim,uma reconstrução se faz necessária. Um bom caminho para o recomeço é o produto da Flórida, apontado como um dos cornerbacks mais sólidos do recrutamento deste ano. Especialista na man-to-man coverage, tem uma boa leitura dos oponentes e tem um bom numero de interceptações em sua carreira, pode ser o ponto recomeço para a combalida defesa do 49ers.

8. Cleveland Browns
Escolha: RB Ezekiel Elliott, Ohio State

Após uma trade com o Eagles, saindo da segunda pick e indo para a oitava, o Browns abdicou de draftar um quarterback e deu indicações que vai de Robert Griffin como seu titular. Porém, para tal, é necessário um HB que divida a responsabilidade com ele no ataque. Elliott é considerado por muitos o melhor HB desde Adrian Peterson, e pode ser uma nova cara para a franquia de Cleveland, que necessita de uma reviravolta.

9. Tampa Bay Buccaneers
Escolha: DE Joey Bosa, Ohio State

O Bucs teve um pass rush fraco na temporada passada, o que dificultou o trabalho da secundária e da unidade defensiva como um todo. Com um já sólido ataque, a nona escolha pode ser gasta reforçando a sua linha defensiva, que, apesar da contratação de Robert Ayers no FA, ainda necessita de ajuda. Joey Bosa, um dos melhores prospectos pré-combine, decepcionou no evento em Indianapolis e seu draft stock despencou. Porém, ainda é um ótimo jogador dentro de campo, e pode adicionar muito à qualquer defesa na liga.

10. New York Giants
Escolha: OLB Leonard Floyd, Georgia

Mesmo com as adições de Olivier Vernon e a volta de Jason Pierre-Paul no período de Free Agency, o front seven do Giants ainda é deficiente. Floyd, um outside linebacker da Universidade da Georgia, tem uma velocidade fenomenal e muita habilidade no pass rush. Porém, Floyd ainda peca na cobertura, algo que pode comprometer no esquema 4-3 do Giants. Ainda assim, tal talento pode ser lapidado com o bom DC Steve Spagnuolo. Leonard é um LB completo, podendo ser usado nas primeiras descidas como um run stopper, e como pass rusher nas situações de passe, onde a defesa se apresenta em Nickel ou Dime.

11. Chicago Bears
Escolha: OT Ronnie Stanley, Notre Dame

Um dos prospectos mais interessantes na posição de tackle, tem um bom jogo de mãos, protege bem o passe mas precisa desenvolver melhor seu jogo contra a corrida. O ano a mais que ele passou na faculdade pode ser um fator indicativo que ele tem um preparo mental para o jogo mais interessante que o de seus pares, sendo assim ,uma grande adição ao ataque de Chicago. Jay Cutler agradece!

12. New Orleans Saints
Escolha: DT A’Shawn Robinson, Alabama

Mais um jogador oriundo da temida Crimson Tide, surpreende pela qualidade de sua movimentação apesar de seu peso e tamanho. Assistindo a vídeos do prospecto você chega a se perguntar como alguém de tal tamanho consegue se movimentar tão rápido na perseguição a adversários e a bola. Dominante contra a corrida, porém sem muita notabilidade atuando como pass rusher (porém com um potencial bom para desenvolvimento nesta área do jogo graças a suas características físicas), é uma adição boa para uma franquia teve um desempenho bem aquém do esperado na batalha das trincheiras.

13. Miami Dolphins
Escolha: DE Kevin Dodd, Clemson

A franquia de Miami começa a projetar seu futuro na linha defensiva. Como eles contam com jogadores já em idade avançada, já começar a renovação é uma boa ideia. Para isso, Kevin Dodd é o escolhido. Com uma performance de encher os olhos na final de 2016 do College (7 tackles e 5 sacks) e apresentando um numero alto de sacks por toda sua carreira perseguindo o quarterback jogando por Clemson ele pode ser a renovação e a chave da vitória dos temidos confrontos com Tom Brady, pois é notório que derrubar ele é a chave para ganhar jogos contra o mesmo.

14. Oakland Raiders
Escolha: DT Andrew Billings, Baylor

O Raiders, após bons drafts e um grande período de Free Agency nessa temporada, montou um elenco consistente. Porém, ainda há uma fraqueza na DL, na posição de DE. Enquanto isso, Billings, considtente DT da universidade de Baylor, tem o peso perfeito para a posição de DE no esquema 3-4. A adição do jogador pode levar a defesa do Raiders a um nível altíssimo, ajudando a performance da defesa e facilitando a vida do ataque.


15. Tennessee Titans

Escolha: OT Jack Conklin, Michigan State

O Titans, antigo dono da primeira escolha geral, fez boas aquisições na offseason, como o HB Demarco Murray. Porém, seu quarterback, o agora segundanista Marcus Mariota, sofreu com lesões, proveniente da fraca atuação da sua OL.  Quando estavam na primeira pick do Draft, projetava-se o OT Laremy Tunsil. Pela nossa ordem, ele já está fora de questão. Seguindo a lógica, o Titans seleciona o melhor OL disponível, sempre consistente na proteção de Connor Cook em MSU.

16. Detroit Lions
Escolha: WR LaQuon Treadwell, Ole Miss

Discutivelmente o melhor WR do draft, que se destaca por um número baixo de drops e uma boa execução de rotas,na franquia que recentemente perdeu a sua referência quando se trata de recebedores. Um casamento perfeito! Porém a torcida do Lions deve ser paciente, pois o prospecto não tem muito instinto de playmaker saindo do College ,mas há uma ampla margem de evolução para o produto de Ole Miss.

17. Atlanta Falcons
Escolha: LB Darron Lee, Ohio State

No ano passado, o ataque do Falcons voou baixo no início da temporada. O trio Matt Ryan, Julio Jones e Devonta Freeman garantia muitas jardas em todas as campanhas ofensivas. Porém, no outro lado da bola, a defesa era fraquíssima. Além das boas atuações do CB Desmond Trufant, nada funcionava constantemente, principalmente os LBs. Enquanto isso, Darron Lee se mostrou um monstro físico, com uma atuação absurda no Combine, mostrando muita velocidade. Em seus vídeos de jogo, ele demonstra muita maturidade na cobertur, característica que falta no time de Atlanta. Pode ser uma das melhores escolhas no Draft inteiro.

18. Indianapolis Colts
Escolha: MLB Reggie Ragland, Alabama

A adição de um inside linebacker tão talentoso (outro destaque da temida Alabama) pode ajudar e muito a combalida defesa dos Colts,que tem a tendencia de sofrer contra o jogo terrestre. Extremamente atlético,e com  uma habilidade assombrosa de tacklear. Não é tão bom nas coberturas aéreas mas compensa com uma dominância incrível no jogo contra a corrida.

19. Buffalo Bills
Escolha: DE Shaq Lawson, Clemson

Recentemente, o Bills cortou o DE veterano Mario Williams, ficando com um buraco em tal posição. Todos sabemos que o seu HC, Rex Ryan, preza por boas defesas. Além disso, com um ataque inconsistente, é importante ter uma forte defesa. A adição de Lawson, que vem para jogar no lugar do já citado Williams, pode ser muito importante na construção de um bom front seven. Além disso, o filho de Rex, Seth, é wide receiver em Clemson, mesma universidade de Shaq, o que significa que o HC conhece muito bem o futebol do novato.

20. New York Jets
Escolha: QB Paxton Lynch, Memphis

Ano passado, Ryan Fitzpatrick foi o QB do time de NY. Até a noite do Draft, ambas as partes não conseguiram chegar a um acordo, e o futuro do time na posição não parece estar nas mãos de Geno Smith e Bryce Petty. Paxton, um ótimo prospecto antes do combine, ficou ofuscado pelos nomes de Jared Goff e Carson Wentz. Ainda assim, é um ótimo jogador, alto, móvel, e com um canhão no braço. Uma ótima escolha para a franquia, que precisa de uma nova face.

21. Washington Redskins
Escolha: DT Sheldon Rankins, Louisville

Aparentemente, a equipe da capital americana encontrou o seu franchise QB em Kirk Cousins. Com boas peças no ataque, o foco agora é melhorar a defesa. Na última semana, anunciou a contratação bombástica do CB All-Pro Josh Norman, por aproximadamente 15 milhões por ano.  Por isso, cornerback deixa de ser uma necessidade imediata, e a equipe tem a liberdade de selecionar um DT, que pode também jogar de DE no esquema 3-4 da equipe. Rankins, sólido em Louisville, deve ser o titular da equipe caso selecionado.

22. Houston Texans
Escolha: WR Will Fuller, Notre Dame

Texans de WR na primeira rodada? Mas eles já não tem o DeAndre Hopkins? Você deve ter feito a pergunta acima ao ler o nome. Porém, sim, a pick faz sentido. Após contratar o QB Brock Osweiler e o HB Lamar Miller, o Texans precisa de mais alguma arma para complementar o seu bom ataque. Fuller, WR saindo de Notre Dame, foi o mais rápido da posição no Combine em Indianapolis. Com uma boa altura e uma ótima velocidade, pode ser uma grande opção para o braço imenso de Osweiler.

23. Minnesota Vikings
Escolha: WR Josh Doctson, TCU

Agilidade, velocidade, explosão. Essas três palavras podem definir o recebedor da universidade do estado do Texas. A escolha faz todo o sentido, pois o Vikings tem um time completo na defesa e um quarterback com estilo de jogo que favorece os WRs. Além disso, o time perdeu Mike Wallace para o Ravens, abrindo um buraco no ataque. Doctson pode ajudar Teddy Bridgewater e Adrian Peterson a carregar o ataque da franquia de Minnesota.

24. Cincinatti Bengals
Escolha: WR Corey Coleman, Baylor

O Bengals perdeu 2 WRs no período da Free Agency. Mohamed Sanu foi para o Falcons, e Marvin Jones foi para o Lions. Com isso, sobrou apenas A.J. Green na equipe. Coleman é um recebedor alto e consistente, muito bom nas bolas longas, e que pode ajudar o ataque aéreo a manter o bom nível apresentado no último ano.


25. Pittsburgh Steelers

Escolha: CB Mackensie Alexander, Clemson

Ben, Bell e Brown. Discutivelmente, o melhor trio QB-HB-WR da liga. Aparentemente, a equipe está bem tranquila no lado ofensivo da bola. Porém, a defesa ainda é um grande problema, em especial a secundária. O fraco grupo ainda perdeu o CB Brandon Boykin no FA e é composto por jogadores velhos, como William Gay. Alexander mostrou-se um playmaker defensivo, sempre com boas interceptações e boas marcações mano a mano. Deve ser titular absoluto caso draftado.

26. Seattle Seahawks
Escolha: OT Taylor Decker, Ohio State

Ano passado, o Hawks mostrou uma OL completamente debilitada e fraca, dando um árduo trabalho à Russell Wilson, obrigado a sair do pocket em várias ocasiões para poder seguir na jogada. Tal situação foi agravada pela perda de Russell Okung no período de FA. Com isso, a seleção do OT de Ohio State fica óbvia e perfeita para a posição da escolha, sendo ele uma das chaves das atuações de Ezekiel Elliott na universidade.

27. Green Bay Packers
Escolha: TE Hunter Henry, Arkansas

Um dos pontos fracos de Green Bay ano passado foi o corpo de recebedores, após a lesão de Jordy Nelson. Sendo assim, dar mais profundidade aos alvos de A-Rod é uma boa ideia. Hunter Henry tem mãos firmes, registrando poucos drops em sua carreira, e apesar de não ser tão atlético como os TEs que estamos acostumados a ver no nível profissional, ele compensa isso com uma boa técnica na separação dos marcadores e na execução de rotas, o tornando um alvo perigoso se recebendo passes de um dos melhores quarterbacks da liga.

28. Kansas City Chiefs
Escolha: CB Eli Apple, Ohio State

O Chiefs perdeu uma peça importante na sua secundária, com a ida de Sean Smith para o Raiders. O CB número 1 será, indiscutivelmente, Marcus Peters, melhor rookie defensivo do ano passado. Para completar a renovação da unidade defensiva, o time pode trazer Apple, um sólido CB na boa defesa de Ohio State, campeã do College Football há duas temporadas.

29. Arizona Cardinals
Escolha: DT Robert Nkemdiche, Ole Miss

Apesar de já ter o DE Calais Campbell e um consistente front seven, a outra posição de DE é composta por peças de rotação. Apesar da necessidade de um cornerback, a adição de Nkemdiche tão tarde no Draft é uma oportunidade que não se pode deixar passar. Apesar de alguns problemas fora de campo, o DT/DE pode tornar o front seven do Cardinals um dos melhores da liga.

30. Carolina Panthers
Escolha: William Jackson III, Houston

A perda tardia de Josh Norman para o Redskins pegou todos de surpresa na NFL. Com isso, a tática do Panthers no Draft com certeza mudou. Com o seu único bom CB indo embora, a seleção de alguém para repor parece lógica. Jackson, cria da pequena universidade de Houston, que tem como maior astro da história o QB Case Keenum (!), é físico e atlético, assemelhando-se nesse quesito à Norman.

31. Denver Broncos
Escolha: C Ryan Kelly, Alabama

Ainda não se sabe quem será o QB da franquia na temporada, mas é certo que o time precisa de ajuda na OL. O C, produto do Crimson Tide, foi um dos grandes fatores para o sucesso (e a vitória no Heisman Trophy) para o HB Derrick Henry. Além dele, consistentes jogos corridos durante a sua carreira em Bama mostram que ele pode ser uma peça confiável na liga.

 

Posts Relacionados